5 lições de Jason Mraz para ser a pessoa mais feliz do mundo

PDF pagePrint page

Eu nunca havia escutado um disco inteiro do Jason Mraz até recentemente. Como apaixonado que desconfia de artistas mainstream, para mim ele era só mais um cantor pop. O que descobri é que ele é um artista capaz de criar muito mais do que músicas agradáveis que caem na gosto do público, ele tem conteúdo.

Ao contrário dos artistas pop brasileiros, Jason Mraz compõe quase todas suas músicas e o faz sem usar metáforas, focando-se em coisas que são realmente capazes de nos trazer felicidade. Não é uma “fugidinha”, não é um “meteoro da paixão”, muito menos um “tchu” ou “tcha” os responsáveis pela felicidade. Coisas efêmeras e superficiais nunca fizeram o homem feliz, coisas como o poder, festas, dinheiro, mulheres; a verdadeira receita da vida (se é que há uma) é levar uma vida simples, ao lado de pessoas especiais, em paz consigo e aproveitando cada momento da vida. Como  Jason Mraz ensina pra gente na sua música “Living the Moment”, uma verdadeira filosofia de vida.

#1 Não caia nas suas próprias armadilhas

Se pararmos para analisar, a maioria dos problemas são causados pelas nossas próprias ações — ou ausência delas. Quando nos acomodamos profissionalmente, estamos colocando uma armadilha no nosso caminho em que, inevitavelmente, iremos cair se não mudarmos de direção a tempo. Um exemplo muito, muito comum é o de mulheres que se relacionam caras que não prestam, caem na armadilha de achar que vão conseguir mudá-lo. Pode ser difícil perceber que ele não é a pessoa certa no começo, mas se estiver de olhos abertos e escutar o que as pessoas dizem, irá descobrir antes que seja tarde.

Criamos armadilhas o tempo todo, não apenas com relacionamentos ou na empresa, mas em coisas mais simples como falta de planejamento financeiro. A vida já tem armadilhas demais que nos fazem perder um tempo precioso, não crie as suas próprias. A menos que você não considere a vida é curta.

#2 Livre-se dos pensamentos que não lhe deixam mais forte

A vida é uma matemática. Há coisas que acrescentam algo, aquelas que não acrescentam nada e aquelas que subtraem. Não gaste seu tempo com coisas que não lhe tornam uma pessoa melhor. Raiva e rancor são venenos para alma, mágoas são feridas que nunca saram, esqueça-as ou resolva de uma vez por todas, o que servir para você, só tire isso da cabeça. Saber perdoar e amar é tudo que você precisa. (Eu sei que soa cafona, mas ser feliz requer um pouco de cafonice.)

Hábitos também fazem parte da matemática, leitura sempre acrescenta, TV em excesso subtrai (alguns programas subtraem ainda mais). Comer porcaria pode acrescentar se for exceção, mas uma boa alimentação saudável o deixará mais disposto, leve,  saudável e cheio de auto-estima. O importante é sempre ir somando a algum aspecto da sua vida, um pontinho por vez. Você não precisa correr uma maratona, pequenas caminhadas são o suficiente para lhe fazer progredir.

#3 Deixe o passado passar

Quem gosta de passado é museu e professores de história. Se você viver no passado, nunca irá viver de verdade. Seja uma época incrível que você viveu ou algum erro que cometeu, passou. Ponto. Tenha aprendido ou não a lição, é preciso se concentrar no hoje e amanhã. Vejo muitas pessoas presas ao passado, na maioria dos casos isso não as impede de viver, mas suga parte da energia que poderia ser usada para criar novas e boas experiências.

#4 Abra mão das suas convicções

Boa parte do encanto da vida está em descobrir coisas novas, mas geralmente chega uma parte dela em que as  pessoas acham que sabem o suficiente, ou mais do que todos a sua volta. O impressionante é que essa fase geralmente coincide com a metade da vida. Ou seja, elas passam a outra metade da vida boicotando novas descobertas e experiências. A melhor maneira de aprender coisas novas é se considerando um eterno aprendiz (leia o artigo que escrevi sobre), seja um eterno aluno de 2º ano da faculdade e extraia tudo que puder das coisas a sua volta.

#5 Pegue leve

Como o próprio Mraz escreve, “não crie mil maneiras de se preocupar com tudo”. Vamos combinar, tem gente que adora se preocupar com tudo! O chefe workaholic centralizador que não consegue delegar cujo estresse tem causado problemas de saúde é o melhor exemplo de todos, mas o mesmo serve para a mãe dona-de-casa que vive nervosa ou qualquer pessoa que se exalte facilmente. Aqui vai um conselho: isso não faz para bem para ninguém a sua volta, mas o maior prejudicado é você.

Daniel Pink, autor de ótimos livros e um dos meus gurus favoritos, disse uma vez que “produtividade pessoal é a nossa nova dieta”. Precisamos reduzir a quantidade das nossas atividades ou vamos pirar. Não se trata apenas de trabalhar menos, mas de trabalhar melhor, com eficiência. Pegue leve, se você perder a cabeça com algo só irá perder tempo colocando ela no lugar.

Viva o momento

Isso é obrigatório, ok? Você é obrigado a aprender a aproveitar cada momento se quiser viver bem. Embora pegar leve no trabalho ajude, ainda passamos a maior parte do nosso tempo na empresa, o que torna extremamente valioso cada momento que estamos longe. Com a esposa, namorado, brincando com o cachorro, em uma final de semana na praia ou em 10 minutos que você tenha com o seu filho antes dele dormir… onde quer que você esteja, esteja 100% — é para isso que as 5 lições acima servem. É preciso ter paz na mente, paz no coração, ser livre e pegar leve.

[Veja a letra que já é uma filosofia]