11 maluquices que podem melhorar sua criatividade

PDF pagePrint page

Se você ainda tem aquela visão romântica da criatividade na qual pessoas iluminadas nascem prontas para mudar o mundo carregando um dom que você, infelizmente, não tem; esqueça! Criatividade é uma habilidade, e como tal, deve ser desenvolvida.

Criatividade envolve uma série de coisas e a menos importante delas (embora não haja nenhum grande indício na ciência) são os genes. Ser criativo tem mais a ver com estado mental, se cercar de pessoas e coisas interessantes, e se livrar dos pré-conceitos do que com um dom divino ou material genético. Por exemplo, você sabia que pessoas que moram em cidades grandes são mais criativos? Que pessoas que conhecem outros países são ainda mais? E que empreendedores com amizades mais variadas são cerca de 3 vezes mais inovadores do que os outros?

De uma maneira simples e curiosa, irei mostrar 11 coisas malucas que estudos indicaram melhorar a criatividade. Eu disse indicaram, não vá por tudo em prática ou você corre o risco de ser demitido ou falir sua empresa. Você vai entender o porquê…

#1 Tudo azul

Quem já leu sobre a psicologia das cores irá entender. O azul ajuda a relaxar e melhorar o pensamento associativo. Ao contrário de cores quentes, que deixam as pessoas mais alertas e ligadas. Um estudo feito em 2009 mostrou que pessoas que estavam uma sala de fundo azul resolveram mais quebra-cabeças do que aqueles que estavam em uma sala de fundo vermelho.

#2 Fique lerdo

Este estudo publicado agora em 2012, portanto super recente, mostrou que pessoas em baixo estado de atenção (leia-se: grogue, sonolento, lerdo) se saíram muito melhores em puzzles criativos (não de lógica), aumentando a chance de sucesso em até 50%.

#3 Sonhe acordado

O que há de errado em passar um tempo olhando para o teto ou vendo o tempo passar (desde que não seja as 8 horas do expediente)? Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nada. Pelo contrário, se seu trabalho exigir criatividade, melhor ainda. Pessoas que sonham acordado (daydream, expressão em inglês), tiveram pontuação mais alta em vários testes de criatividade. A minha dúvida é se criativos sonham mais, ou se sonhar mais é que torna as pessoas mais criativas.

#4 Pense como uma criança

Quando pesquisadores pediram para as pessoas se imaginarem com 7 anos de idade, elas pontuaram consideravelmente mais em testes de pensamentos divergentes — uma espécie de “pensar diferente” e criar novas utilidades para coisas já existentes.

A presunção resultado da experiência que adquirimos é um veneno para a criatividade.  Jonah Lehrer, autor do livro “Imagine”, coloca em belas palavras: “a chave da criatividade é a habilidade de atacar os problemas como um iniciante, deixar todas as pré-concepções e medo do fracasso de lado”.

#5 Ria alto

Não, não, não. Nada desse sorriso amarelo que você dá para as pessoas quando chega na empresa. Rir de verdade! Mark Beeman e John Kounios identificaram a área do cérebro relacionada aos insights  — o famoso estalo, aquela lampadinha na cabeça. Ela se chama, em inglês, superior anterior temporal gyrus (aSTP). Vários fatores influenciam um insight, um deles é rir. O estudo da dupla mostrou que pessoas que assistiram um show de stand-up comedy aumentaram a chance de sucesso em 20% ao resolver puzzles criativos. Dá-lhe YouTube!

#6 Imagine que veio de longe

Essa é boa. Uma pesquisa conduzida pela Universidade de Indiana mostrou que as pessoas resolviam mais problemas quando eram ditas que tais problemas foram criados na Grécia ou na Califórnia em vez do laboratório local. As pessoas realmente dão mais valor a coisas de fora. Viu?

#7 Seja vago

E por vago quero dizer, não seja específico, não use palavras que possam limitar o pensamento da equipe. Por exemplo, em vez de usar o verbo “dirigindo” use “deslocando”. Parece banal, mas o resultado poderá ser substancial.

#8 Trabalhe fora da caixa

Muita gente trabalha no famoso cubículo, seja ele um quadrado estilo Dilbert (mais comum nos Estados Unidos) ou mais aberto. Fato é que quase sempre é pequeno e limitado ao espaço do colega ao lado. Um estudo recente fez pessoas se saírem melhores ao pensar fora do seu espaço. Talvez o trabalhar fora da caixar ajudou a pensar fora da caixa.

#9 Conheça o mundo

Eu não tenho dúvida que esse é o melhor conselho que eu poderia dar. Viajar abre a mente de uma tal maneira, que uma vez aberta ela nunca volta ao tamanho normal — já dizia Einstein. Um estudo de Adam Galinsky mostrou que estudantes que moraram fora do seu país natal resolveram mais facilmente um clássico quebra-cabeça criativo. Uma dica minha: fuja de roteiros de viagem, faça um planejamento simples e esteja aberto a mudanças de última hora.

#10 Mude-se para uma capital

Físicos do instituto de Santa Fé (Novo México) descobriram que inventores que se mudaram para uma cidade com o dobro de tamanho produziram, em média, 15% mais patentes.

#11 Tome uns “bons drink”

Por último, da Universidade de Illinois em Chicago. Lá, eles testaram estudantes sóbrios e que haviam ingerido um certo teor de bebida alcoólica. O que eles descobriram foi algo curioso, para não dizer interessantíssimo. Os que haviam bebido, resolveram quase 30% problemas de associação remota de palavras do que os sóbrios. A explicação? Eles estavam mais relaxados, e prestando menos atenção, o que, nesse tipo de problema pelo menos, os ajudou. Agora faz sentido porque os caras do Mad Men não bebiam café, mas whisky.

Fonte:  The Wall Street Journal, adaptado do livro “Imagine – How Creativity Works”, de Jonah Lehrer.