Trabalho longo x Trabalho duro

PDF pagePrint page

Convencionou-se que o bom funcionário é aquele que chega cedo na empresa e sai tarde. Muitos gurus defendem isso como um diferencial, e eu acredito. Os chefes admiram isso, causa uma boa impressão e expressa comprometimento com a empresa. O problema começa quando se considera normal ficar até tarde na empresa, trabalhar nos finais de semana e levar trabalho para casa sempre.

O que as empresas querem de você pode ser resumido em uma coisa: resultado. Para alcançar grandes resultados, é preciso ter foco. (Veja alguns dados) Via de regra, quanto mais tempo passamos na mesma atividade, maior a dispersão — e menor o foco. O que vale mais: um craque em plena forma entrando na metade do 2º tempo em uma partida ou um lesionado jogando os 90 minutos? Você decide. A comparação pode ser exagerada, mas serve para mostrar a diferença entre trabalho longo e trabalho duro.

Gostaria de expor três fontes diferentes que defendem o trabalho duro sobre o trabalho longo.

O que diz um empreendedor:

O texto a seguir foi escrito por Seth Godin:

Trabalho longo é o que o advogado que gasta 14 horas por dia preenchendo formulário faz.

Trabalho duro é o que o perspicaz litigante faz quando sintetiza quatro disparantes ideias e surge com um novo argumento que ganha o caso — em menos de 5 minutos.

Trabalho longo há muito vem tendo suas histórias contadas. Fazendeiros, caçadores, trabalhadores de fábrica… Sempre houve trabalho longo por trás daqueles que se deram bem na vida. Durante gerações, existiu uma grande recompensa para aqueles que tivessem disposição e determinação para fazer um trabalho longo.

Trabalho duro é assustador. Nós nos afastamos do trabalho duro porque junto dele está o risco. Trabalho duro é duro porque você pode fracassar. Você não pode fracassar no trabalho longo, você só tem que aparecer. Você fracassa no trabalho duro quando não estabelece uma conexão emocional, quando não resolve o problema ou quando hesita.

Acho que vale notar que trabalho longo frequentemente dá lugar ao trabalho duro. Se você aparecer o suficiente, praticar o suficiente e aprender o suficiente, há grandes chances de você se encontrar trabalhando duro.

Parece que não importa o quão longo você trabalhe, você não irá colher os frutos do trabalho duro a menos que esteja disposto a dar um salto.

O que diz um empresário milionário:

Determinação + objetivo claro + concentração = sucesso.

Essa é a fórmula do sucesso dada por Harvey Mackay, um dos mais bem-sucedidos, influentes e simpáticos palestrantes dos Estados Unidos.

Determinação é a palavra mais atrelada ao sucesso que eu conheço. Também é para Mackay, que a chamou de “clichê do sucesso”. Ter um propósito também é óbvio, todo mundo sabe, todo palestrante fala a respeito e é impossível chegar a algum lugar sem saber (exatamente) que lugar é esse. Mas concentração é algo pouco citado.

Nessa fórmula, concentração está diretamente ligado à eficácia e desempenho. Sem concentração, ninguém nunca fará o seu melhor trabalho, nem um jogador marcará o seu gol mais bonito ou um artista criará sua maior obra.

O que diz a ciência:

Nada como pesquisas para comprovar o que gurus dizem.  Responda essa charada: Por que pessoas de sucesso vão pra casa cedo?

Porque elas terminam seu trabalho antes de todo mundo. Dã! Bobo, eu sei, e peço desculpas. Mas é exatamente isso que dizem os estudiosos. Pessoas  bem-sucedidas não se matam trabalhando 12 horas por dia. Elas se matam trabalhando, sei lá, talvez 6 horas e depois gastam seu tempo descansando a mente e fazendo coisas que irão melhorar seu desempenho na próxima vez que pegarem no batente. É o que mostra uma pesquisa publicada em 1993 pelo Dr. K. Andrews que estudou o desempenho de músicos e descobriu que aqueles que ensaiavam apenas pela manhã se saiam melhores do que aqueles que praticavam o dia todo.  A pesquisa comparou com pessoas bem-sucedidas em outras profissões e encontrou o mesmo padrão, como por exemplo, escritores.

Acredito que isso aconteça em todas profissões exceto quem trabalha com trabalhos essencialmente mecânico e que exijam não muito mais do que esforço motor. A explicação para isso está no fato de que concentração é muito importante para o desempenho e que ninguém consegue se concentrar durante muitas horas. Outro fato é que com menos horas de trabalho, você se planeja mais e estabelece melhor os objetivos — os tão menosprezados milestones.

Algum tempoa trás eu li que o máximo de tempo que uma pessoa consegue manter boa concentração são 4 horas. Depois isso, é preciso dar uma boa pausa. Mas depois de algumas horas de trabalho intenso, o mais indicado mesmo  é tirar o dia de folga. Como poucas pessoas têm esse privilégio, resta planejar melhor o dia. Evite trabalhar o dia todo em um projeto complexo e exaustivo. Tire metade do dia, coloque o celular no silencioso, cheque e-mails apenas de hora em hora e feche outros aplicativos do computador antes de começar a trabalhar. À tarde, faça o trabalho mais rotineiros, dê uma lida no jornal e cuide dos projetos menores. Mas, bem, isso é só uma ideia.