Antes de fazer o certo, deixe de fazer o errado

PDF pagePrint page

Um conselho para a vida toda: mau é mais forte que bom. Constrangimentos, desconforto e medo duram muito mais tempo e afetam mais o nosso emocional do que qualquer elogio, sorriso ou palavra de consolo.

A questão aqui é: todos nós temos defeitos, todos nós fazemos coisas erradas. Da mesma forma, todos nós temos qualidades e fazemos o que achamos que é certo (com base no que a sociedade nos ensinou). Mas será que as nossas qualidades compensam os nossos defeitos? Será que nossos erros anulam as coisas que fazemos? Bem, especialistas sugerem que não.

É evidente que em um mundo perfeito, você deveria se focar tanto em melhorar seus pontos fortes como em eliminar seus pontos fracos. Mas levando em conta que você já tem coisas demais para fazer; é mais realista deduzir que você vai se focar em apenas um dos dois. E que este seja: diminuir seus defeitos.

Regra do 5 pra 1

Para comprovar que experiências negativas exercem impacto muito maior nas pessoas do que as positivas, pesquisadores acadêmicos investigaram um grande número de casais. A descoberta foi incrível: a menos que as experiências positivas superem as negativas em 5 pra 1, o relacionamento está fadado ao fracasso. (O livro “Blog Marketing” usa a proporção 4 pra 1, mas não cita o estudo.)

Essa é uma descoberta incrível. Quem é um pouco mais experiente sabe o quanto os relacionamentos vão se deteriorando aos poucos. Seja com um amigo que outrora fora seu melhor amigo ou um chefe que você costumava admirar ou uma namorada que você amava loucamente até ela começar a pisar na bola. Não são coisas que acabam do dia para a noite.  Mas com base na “Regra do 5 pra 1” é possível saber se tem futuro ou não. O estudo realmente afirma que 2, 3 ou 4 interações positivas não compensam o efeito de uma experiência negativa, é preciso, de fato, 5 ou mais.

O impacto dentro das empresas

Se deteriorar a relação com os seus funcionários ou colegas não for o suficiente, veja esta: equipes com pelo menos 1 pessoa negativa apresentam desempenho de 30% a 40% pior do que equipes que trabalham em plena harmonia. Nas empresas, 1 laranja podre realmente compromete todo o saco.

É importante enfatizar que  “o mal” pode estar em qualquer lugar e cabe ao chefe eliminá-lo. Se alguém está disseminando a discórdia ou está em descompasso com o restante da equipe, o chefe deve agir. Se algum problema gera mal-estar na equipe, cabe ao chefe resolver o mais rápido e de forma mais transparente possível.

O papel do chefe é manter sua equipe sempre feliz e produtiva, e a maior parte disso está principalmente em evitar ou eliminar as experiências negativas do que criar positivas.

Baseado no artigo “Bad Is Stronger Than Good”