Detalhes vs relevância

PDF pagePrint page

Detalhe da cerejaMuitos anos atrás, antes mesmo de entrar pro marketing, ouvi um especialista dizer que a maioria dos candidatos a emprego dizem ser o “perfeccionismo” seu maior defeito. Que bom que a maioria sabe que é um defeito, mas há aqueles que consideram uma virtude. O que você pensa a respeito? [pense antes de continuar lendo]

Voltando ainda mais no tempo, antes mesmo de entrar na faculdade de comunicação, eu me considerava perfeccionista e bastante dedicado aos detalhes. Claro que eu pensava que era uma qualidade. Isso foi até eu começar a trabalhar e entender que o resultado é mais importante que os detalhes. Óbvio que nem todo detalhe é supérfluo, mas é preciso responder a pergunta: Qual a relevância dele para o público e para o resultado?

Detalhes demandam tempo, é preciso avaliar a atenção que você está dedicando ao detalhe, e se o tempo necessário para satisfazer essa “extravagância” valerá à pena.

Varejo é um caso onde detalhes são bem-vindos. Categorias extremamente bem organizadas, produtos limpos, sem avarias  e com preços corretos, corredores sem carrinhos de estoque atrapalhando a passagem e manter um funcionário sempre à vista… esse tipo de perfeccionismo é bom, porque contribui diretamente para melhorar a experiência do cliente. Quando falamos em atendimento, a mesma coisa, pessoas simpáticas, educadas, com sorriso sempre no rosto, de roupa limpa e preocupadas em satisfazer o cliente transmitem uma boa imagem da empresa. Em outras palavras, os detalhes são muito importantes em ocasiões onde eles não costumam receber muita atenção. Essa é uma boa chance de fazer a diferença.

Tendemos a superestimar a importância dos detalhes, principalmente quando não pensamos como consumidor. Um detalhe é relevante quando ele contribui para melhorar o produto ou a experiência do consumidor. Ser detalhista é excelente se você consegue achar erros que ninguém conseguiu. Caso contrário, essa característica pode atrapalhar mais que ajudar. Na correria do dia-a-dia na empresa, prazo curto, reuniões, fazer uma capa bonita para um relatório ou melhorar aquele gráfico pode ser um detalhe irrelevante. Alterar um texto quando ele já foi escrito, re-escrito e revisado por um profissional responsável, é irrelevante. Mudar a cor, aumentar, diminuir, trocar 6 por meia-dúzia são muitas vezes detalhes sem relevância para o consumidor.

A minha sugestão é que se deve balancear o detalhismo com a eficácia, tendo como juiz a relevância. Tempo, dinheiro, relevância e eficácia, quatro palavras que devem vir em primeiro lugar. Detalhes devem ser deixado para segundo plano (depois desses 4), afinal, são meros detalhes.